quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Chuveiro colorido

Pessoal, preciso me desculpar mais uma vez pelo sumiço!
Mas tem sido por uma boa causa: é o trabalho que nos obriga a voltar nossas atenções para questões mais imediatas... saudades de todos os blogs vizinhos!
Tão logo o ritmo diminua um pouco prometo visitar todos vocês, um por um!

Enquanto isso, volto a falar aqui um pouco a respeito do desperdício.
Como arquitetos, temos que pensar em soluções que diminuem o desperdício principalmente de água.

Sabemos que a água é o nosso bem mais precioso. Sabemos também que é um bem finito e que seu ciclo de purificação é muito mais lento do que a velocidade do desperdício humano. O consumo exagerado, a falta de consciência e a poluição dos rios e lençóis freáticos trarão danos irreversíveis à natureza.

Nessa busca por materiais e produtos que auxiliam cada vez mais a preservação, vejo a Docol como uma empresa de metais sanitários que sempre esteve à frente levantando a bandeira contra o desperdício. Não apenas propagando consciência, mas tomando atitudes efetivas, reciclando água em suas fabricas e desenvolvendo produtos que visam a proteger esse nosso bem maior.
As torneiras com sistemas de arejador e seletor de jato (duplo jato) promovem a utilização racional da água e contribuem para evitar o desperdício. A durabilidade, a praticidade e do design sempre inovador já são conhecidos.

Complementando a linha de metais coloridos, a Docol acaba de lançar o chuveiro Lumina que vem para quebrar a supremacia do cromado, chega ao mercado em mais 3 cores: verde, preto e vermelho. O produto foi resultado do 9º Premio Docol Arquitetando tendo como vencedor o designer Tony Hirodi. O design é surpreendente e diferente de tudo que já se viu até hoje no Brasil.

O chuveiro não é elétrico. A opção do produto é para aquecedores e requer aquecedor central elétrico, solar ou a gaz para a perfeita utilização.Tem funcionamento perfeito em baixa e alta pressão. Outra aplicação do modelo é em duchas de churrasqueiras nesse caso alimentado somente com água fria.

Mais uma vez a Docol sai na frente na preservação dos recursos naturais e na sustentabilidade através de seus produtos. Nós os especificadores e demais parceiros devemos juntos também dar mais um passo na conscientização e contribuir para a saúde do planeta.

Fonte: Docol

O chuveiro Lumina da Docol



terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Museu sustentável na China

O escritório chines 10 design com sedes em Hong Kong e em Shangai, propôs um museu na cidade chinesa de Dalian cujo edifício visa se tornar um ícone de progresso e design ambiental para a região e para o mundo.

Tomando como partido uma forma expressiva que aproveita o parque verde adjacente, é inspirado em elementos náuticos presentes nesta cidade costeira. As formas dinâmicas de sua fachada remetem ao corpo de uma baleia ou, ainda, às ondas do mar. Além disso, as luzes, alimentadas por células fotovoltaicas, conferem um aspecto que lembra o brilho marítimo noturno.

O projeto que totaliza 35mil metros quadrados localizado no distrito governamental da cidade, destinado a abrigar exposições sobre planejamento urbano, ainda contará com uma biblioteca, um centro científico e um salão recreacional para jovens, cada um destes prédios apresentando a vanguarda do design e tecnologia sustentáveis.

O prédio se destaca principalmente pela fachada que reflete a paisagem circundante, composta por uma parede revestida por rainscreen de zinco – rainscreen é uma estrutura que evita a infiltração da água pluvial utilizando-se de uma camada intermediária (para maiores detalhes sobre o sistema, cliquem aqui).

A estrutura externa é revestida por um fotocatalisador de dióxido de titânio, um recurso de nanotecnologia que confere à fachada um brilho peculiar, ao mesmo tempo que a protege da poluição. Este revestimento externo autolimpante remove poeira e evita danos à superfície externa, diminuindo assim o custo da manutenção por anos.

"Esses nano-revestimentos são nada mais do que tintas simples e irão fornecer uma performance dramática com um custo mínimo. O uso da auto-limpeza por nano-revestimento na fachada irá manter a pele limpa de toda a sujeira durante anos, sem qualquer manutenção", acreditam os arquitetos. Essa reação de limpeza é mantida, segundo o escritório, por 24 horas: durante o dia é estimulada por raios ultravioletas e à noite são alimentados por células fotovoltaicas.

Já internamente a fachada usa uma camada de polímero que aumenta o isolamento térmico em 10% a 20%, além de prevenir o aparecimento de bactérias e fungos.

Buscando o equilíbrio natural da temperatura, os arquitetos ainda apostaram em um sistema de aquecimento e arrefecimento passivos, diminuindo as fachadas leste e oeste, bem como dispuseram as janelas protegidas dos ventos do norte.
Fonte: Inhabitat, 10design









quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Piso Vinílico

Inicialmente quero pedir desculpas a todos os meus seguidores por estar tão ausente estes dias. Neste final de ano e ainda no inicio do novo ano o trabalho tem me ocupado de tal maneira que não tenho tido tempo para me dedicar ao blog.

Espero a partir do próximo mês conseguir me organizar melhor.

Enquanto isso, me chamou muito a atenção um piso vinílico produzido pela Amtico International e distribuído pela MBM Brasil do Paraná. O piso vinílico tem uma grande vantagem para quem acha que o barulho do piso é um incômodo pois eles possuem uma camada base com propriedades de isolamento acústico e isolante térmico.

A gama de produtos da Amtico é diversificada e abrange madeira, pedra e temas abstratos. Alguns com aspectos metálicos.

A linha Back to Black em especial combina texturas com os tons escuros, onde o preto foi suavizado com linhas sutis de berinjelas, tons de verde-oliva e chocolate. Os tons escuros elegantes e contemporâneos estão definitivamente de volta. A tendência para o preto foi visto pela equipe de design Amtico na Feira de Móveis de Milão, onde muitos tons de preto dominaram o design dos interiores, criando um poderoso e impactante visual.
O Back to Black é composto de PVC 100% reciclável, com uma película de vinil (filme decorativo) que dá brilho e produz efeito diferenciado. Possui garantia de 25 anos, além de ser ecologicamente correto. Sua instalação é simples e limpa, não gera resíduos e entulhos, pois pode ser aplicado sobre pisos preexistentes.

As placas do Back to Black podem ser utilizadas de diversas formas tanto na arquitetura residencial como também na corporativa e até hospitalar. Colocado no piso, nas paredes para dar um toque diferente ao ambiente, ou até na cozinha, pois é impermeável, pode ser lavado e não mancha com líquidos.

Fonte: MBM Brasil, Amtico





2leep.com