quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O que fazer com o entulho?

Desculpem a minha ausência desta semana. Realmente, a gente sai de férias, se diverte mas o trabalho se acumula. Gostaria no entanto de comentar a respeito das últimas demolições que ocorreram aqui em Brasília no início do mes.

Dois hotéis tradicionais construídos na década de 60 na área central de Brasília foram implodidos no ultimo dia 02 de novembro: o Hotel das Nações (azul e branco) e o Alvorada Hotel (bege e branco).

Como parte dos preparativos da capital federal para receber os sete jogos da Copa do Mundo de 2014, os prédios darão lugar a um complexo mais moderno com mais de 500 apartamentos, restaurante, piscinas, lojas e centros de convenções. A previsão é que ficarão prontos em cerca de 2 anos.

A operação de demolição teve um custo de R$ 1,3 milhão e utilizou 500 quilos de explosivos. A construtora disse na época que em um mês entulho seria completamente retirado. Já passados quase os 30 dias esse serviço de remoção ainda não terminou.

A demolição dos dois hotéis gerou 10 mil toneladas de entulho. Toda essa montanha de lixo foi para o lixão da estrutural onde a expectativa era que as cooperativas de lixo fariam o aproveitamento de boa parte do material como o concreto e a ferragem.

O Lixão da Estrutural, em Brasília, recebe todo lixo do Distrito Federal (DF) desde 1984. Hoje, o terreno tem mais de 15 milhões de toneladas de resíduos. De acordo com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), o número cresce ao menos 11 mil toneladas por dia - dessa quantidade, 70% vem da construção civil.

Além desses dois hotéis implodidos, mais cinco edifícios já foram demolidos em Brasília desde 2007, inclusive o Estádio Mané Garrincha que se transformará no Estádio Nacional.

Todo esse entulho deveria ser reaproveitado em futuras obras na cidade. Todo o aço da estrutura dos prédios podem ser reciclados. Da mesma forma grande parte do concreto também pode ser reutilizado na pavimentação de rodovias, ciclovias, calçadas ou ainda como agregado para concreto não estrutural.

Reciclar o entulho representa vantagens econômicas, sociais e ambientais tais como economia na aquisição de matéria-prima, devido a substituição de materiais convencionais, diminuição da poluição gerada e de suas conseqüências negativas como enchentes e assoreamento de rios e córregos, além da preservação das reservas naturais de matéria-prima.

Após 9 anos da resolução CONAMA que regula o setor, já era tempo de Brasília ter projetos consistentes para o destino correto desses materiais e planejar tudo antes das demolições. Não basta apenas jogar tudo no lixão da estrutural, sem dar condições para que aquelas pessoas tirem dali o seu sustento.

Ainda esta semana uma reportagem na TV mostrava como esse entulho dos prédios demolidos tem sido jogados ali e como os catadores arriscam suas vidas, entre as idas e vindas do trator que reviram os resíduos, selecionando uma coisa ou outra sem muito treinamento ou condição real de trabalho.
Acorda Brasília.

Fonte: Portal R7 e G1

A vista do Setor Hoteleiro antes
Hotel das Nações foi o primeiro

O Alvorada foi o segundo

Montes de entulho de resultado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoraria saber sua opinião a respeito.
Seu comentário será muito apreciado.

2leep.com