quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Porto Maravilha

No instante em que o Rio de Janeiro foi declarado sede das olimpíadas de 2016, eu não sabia bem se ficava alegre ou triste. Como brasileira, carioca e amante dos esportes tinha que ficar alegre, mas quando lembro dos resultados do ultimo Pan no Rio, a esperança se transforma em tristeza e medo.

As obras mal projetadas e acabadas, um monte de elefantes brancos mal utilizados que só consomem mais recursos da cidade. Isto para não falar da corrupção que se alia aos gastos vergonhosamente mais altos que os orçados e que até hoje não estão explicados.

O que sobrou de benefício efetivo para a cidade depois do Pan?

Apesar disso, como amo muito esta cidade, faço força para acreditar e me alegro quando vejo projetos como o que está sendo pensado para a revitalização da área do Porto do Rio de Janeiro – o Porto Maravilha. Esperamos mesmo que seja maravilha, que as pessoas envolvidas sejam sérias, que pensem mais na cidade e nas pessoas que ali vivem do que nos seus próprios bolsos. A idéia de revitalização de portos tem sido bem sucedida no mundo todo: São Francisco, Buenos Aires, Barcelona e até no Brasil, em Belém do Pará, etc

O Projeto Porto Maravilha está previsto para ser concluído em 5 anos e abrange uma área de cerca de 5 milhões de metros quadrados afetando 3 bairros completos (Santo Cristo, Gamboa e Saúde) e mais 3 setores de bairros (São Cristóvão, Centro e Cidade Nova).
Os bairros envolvidos no programa

Maquete do Projeto

O Porto atual

A nova praça e Pier Mauá

Inserção do VLT

Recuperação do Casario
Imagens Prefeitura do Rio
O objetivo é bem amplo: desde a recuperação completa da infraestrutura urbana com novas redes de águas potáveis e pluviais, de esgoto, iluminação e energia; infraestrutura de transporte com a inserção do VLT; melhoria das condições habitacionais da região com a recuperação de prédios históricos para residência; garagem subterrânea; unidades de tratamento de esgotos e lixo; além de novos elevados e túneis.

A revitalização dos galpões do porto fazem parte da primeira ação do Programa.

Aos pés do Morro da Providência e vizinhos à Vila Olímpica da Gamboa, os galpões funcionaram no passado como terminal ferroviário para escoamento da produção durante o Ciclo do Café. Inaugurado em 1880, o espaço que já simbolizou a riqueza da cidade está abandonado.

A proposta é que o local se torne um centro referência social e cultural da região. O projeto prevê, além do restauro dos prédios, a criação de uma praça e a recuperação das duas composições ferroviárias que ainda estão no local.

Para alcançar esses objetivos, está previsto o sistema de “Operação Urbana Consolidada” que de acordo com o Estatuto das Cidades é o conjunto de intervenções e medidas coordenadas pelo poder público municipal, com a participação dos proprietários, moradores, usuários permanentes e investidores. A exemplo do que foi feito na Ponte Estaiada de São Paulo.

Fonte: Prefeitura do Rio de Janeiro

Veja o vídeo do Projeto

2 comentários:

  1. Olá Ione...é realmente dá arrepios de pensar em nosso rico dinheirinho indo embora Deus sabe lá pra onde!!!!Não sou pessimista mais imagino um grande desastre esses eventos,pois não temos ninguém com tanta competência para administrar isso em nosso país!!!
    beijus querida e um lindo dia pra vc!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ione!

    Sim, há os dois lados. Como vivo fora, fiquei muito feliz e orgulhosa. E penso que muita coisa pode mudar para melhor até lá. Além do mais, o mundo inteiro está de olhos para o Rio, que é algo babilônico. Vou torcer para que o nosso Rio se apresente de forma espetacular... Tomara que consigam organizar tudo da melhor forma possível.

    Beijo

    ResponderExcluir

Adoraria saber sua opinião a respeito.
Seu comentário será muito apreciado.

2leep.com