sexta-feira, 16 de março de 2012

Quadros na parede

Quem não gosta de quadros na parede? Uma parede vazia deixa a sensação de que está faltando alguma coisa. Quadros podem modificar completamente a percepção do ambiente.

Mas não vale sair martelando as paredes e pendurando qualquer coisa em qualquer parede de qualquer maneira. Mesmo assim, eu diria que não há regras. Se houvessem, levariam  em conta mais o equilíbrio e a valorização tanto do quadro quanto do ambiente.

Pode ser num local de destaque ou simplesmente para complementar os objetos de decoração mais próximos. Nesse caso não devem estar muito distantes desse objeto de decoração.

De maneira geral, os quadros ficam mais bem visualizados quando colocados da linha dos olhos para baixo. Geralmente centralizados entre a linha do teto e do piso. Se ficar numa parede sobre um móvel de presença, tipo um sofá, um buffet, etc, avalie a área visível de parede e centralize com o móvel. Em paredes livres de móveis dá pra brincar mais, colocando inclusive até mais próximos ao piso.

Um quadro isolado geralmente não cria muita polêmica. Mesmo assim pode ser colocado centrado com um móvel ou não. Nada definitivo. Depende do que você quer destacar.

Quando se trata de conjuntos de quadros, eles não necessariamente precisam ser do mesmo tamanho, ou ter o mesmo tipo de moldura nem mesmo temas similares. Tudo depende da harmonia entre as cores e as formas. Podem ser colocados em linha (como em corredores, por exemplo) ou de maneira aleatória, procurando “encaixar” as formas e os tamanhos, uns nos outros como um grande quebra-cabeça. Nesse caso voce pode alinhar os quadros por baixo ou por cima.

Para não se arrepender por ter furado a parede errado, a dica é planejar e testar. Disponha os vários quadros no chão, em frente à parede que quer utilizar e faça várias alternativas até que o resultado te agrade.

Os maiores cuidados estão na escolha da parede e na forma de furar. Lembre-se que paredes que recebem luz do sol diretamente podem provocar o desbotamento das cores, ou o ressecamento das molduras e da tinta (se for uma pintura).

Para escolher a forma de furar o ideal é saber do que se constitui a parede. Em paredes de tijolo furado ou de bloco de concreto, deve ser utilizada furadeira com fixação de bucha porque se coincidir com o local do furo do tijolo, não se consegue fixar o prego. Paredes de drywall têm buchas especiais para cada tipo de fixação levando em conta o peso. Já paredes de concreto celular são mais fáceis de fixar com um simples prego. Elas são mais densas e não se desfazem facilmente.

Uma dica, porém que serve para qualquer tipo de parede: utilize o bate prego. Conhece? É uma ferramenta simples para colocar o prego na parede sem a necessidade de furadeira e sem destruir a parede. Só precisa de um martelo e até eu consigo colocar um prego na parede sem martelar o dedo, sem fazer sujeira e sem depender da boa vontade de alguém para ajudar. Invensão maravilhosa. Nem precisa de furadeira pra quase nada. Tem pregos de tamanhos diferentes de acordo com a necessidade. A única ressalva é para aqueles quadros ou objetos muito pesados. Em paredes de gesso, utilize o prego menor apenas para objetos leves.

Ai vai alguns exemplos garimpados na internet:







O Bate Prego
Como fazer

Algumas dicas de layout

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoraria saber sua opinião a respeito.
Seu comentário será muito apreciado.

2leep.com