sexta-feira, 8 de abril de 2011

Arquitetura Escolar e Sustentabilidade


A arquitetura escolar se ocupa de estudar e propor alternativas para acolher os serviços oferecidos pelos sistemas de ensino. As periódicas reformas do ensino, ao incidirem sobre a organização curricular, geram demandas de novas tipologias para os espaços da escola, resultando em especificações de ambientes com configurações variadas, que procuram corresponder às necessidades emanadas das propostas pedagógicas vigentes.
As instituições que têm a responsabilidade de criar e manter os espaços educativos tem enfrentado grandes desafios para acompanhar o ritmo dessas mudanças, incorporando as diferentes dimensões que decorrem de novos enfoques dos processos de ensino e de aprendizagem. Manter a atualização, diante de novos requisitos sociais, culturais e políticos, entre outros, tem sido o objetivo perseguido ao longo da história da arquitetura escolar, em particular pelas instituições que se ocupam da escola pública.
Horta na CE Infantil Cotia-SP
O rápido crescimento demográfico, o esbanjamento dos recursos naturais, a degradação do meio ambiente, a pobreza persistente de grande parte da humanidade, a opressão, a injustiça e a violência de que padecem ainda milhões de pessoas exigem ações corretivas de grande impacto.
O desenvolvimento e o crescimento do país tem que ser sempre em harmonia com as limitações ecológicas do planeta, sem destruir o ambiente, para que as gerações futuras tenham chance de existir e viver bem. Como educadores não podemos perder a oportunidade que temos nas mãos de utilizar a escola como ferramenta de forma de proliferar conhecimento com o intento de conciliar esse desenvolvimento à preservação do planeta.
O edifício escolar tem um papel decisivo em todo esse processo. A partir do momento que tivermos um edifício escolar eficiente ao nível energético e em simultâneo com uma boa qualidade ambiental interior teremos um ambiente de ensino aprendizagem propenso para as boas vivências e práticas ambientais além de estimular atividades extracurriculares.
As questões de energia, água e resíduos podem envolver mais diretamente os alunos, colocando-os numa situação de aprendizagem, ao permitir relacionar os conteúdos programáticos com a monitorização dos consumos, bem como a procura de alternativas aos elevados consumos. A convivência que irá promover a conscientização dos futuros adultos que tomarão conta do planeta.

Coleta Seletiva

Um comentário:

  1. Parabéns pelo seu texto e seu trabalho, Ione. Temos focado nosso trabalho na arquitetura escolar e tentamos de alguma forma colaborar com uma educação mais justa e consequentemente um mundo melhor. Álvaro de Lima Castro. www.arquiteturaescolar.com.br

    ResponderExcluir

Adoraria saber sua opinião a respeito.
Seu comentário será muito apreciado.

2leep.com