sexta-feira, 22 de abril de 2011

Dinheiro jogado no lixo

É vergonhoso saber que de 1999 até hoje, o DF,  Capital da República liberou mais de R$ 2 bilhões para empresas terceirizadas fazerem a execução e manutenção das atividades de limpeza publica.
Com a falta de fiscalização o lixo tem sido um filão para corrupção, mesadas e propinas. Desde de 2006 esses contratos são renovados semestralmente em caráter emergencial, isto é, sem licitação. Isto porque deixam a situação ficar insustentável para poder aplicar aquela concessão da lei que permite contratar sem licitação os serviços emergenciais. A emergência desta maneira se renova em contratos ilegais para empresas que apenas recolhem todo o lixo do DF, seja ele residencial, hospitalar ou da construção civil e o despejam no Lixão da Estrutural.
Até hoje a coleta seletiva em todo o DF tem funcionado de maneira parcial e insatisfatória porque mesmo nos locais em que a população se esforça por separar o lixo orgânico do seco, no final tudo é misturado e tem a mesma destinação.

Embora o Plano Diretor de Ordenamento Territorial do Distrito Federal (LC 17/97) estabeleça como ação prioritária a implantação de um Programa de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos, o Programa até hoje não foi elaborado. A falta de uma política de governo para a gestão do lixo tem causado graves danos ao meio ambiente e à saúde pública.
No lixão adultos e crianças arriscam a vida todos os dias entre os riscos de ser atropelados pelos tratores que espalham e movimentam os resíduos ou os riscos de contrair enfermidades pelo contato com material contaminado.
O novo Secretario do Meio Ambiente Eduardo Brandão promete a implantação de uma política de gestão de resíduos, através da melhora do sistema de lixo de todo o DF, o fechamento do lixão da Estrutural, incentivo à reciclagem com centro de triagens e ecopontos além da geração de empregos que um programa como este pode produzir, transformando catadores de lixo em funcionários capacitados à receber e tratar resíduos.
Vamos ver quando é que essas promessas vão se cumprir e que a nossa Capital será exemplo de civilidade para o resto do país na gestão dos resíduos humanos.
Fonte: Correio Braziliense 22/04/2011

Um comentário:

  1. Oi Ione!!! Estou aqui também na torcida para que Brasília aumente a consciência em relação ao descarte de recicláveis. Acredita que estamos com uma dificuldade enorme de descarte de lâmpadas fluorescentes no trabalho? Só conseguimos até agora locais para descarte em pequena quantidade. Tenha uma ótima Páscoa de muita saúde e paz com sua família!!!
    www.arquitrecos.com

    ResponderExcluir

Adoraria saber sua opinião a respeito.
Seu comentário será muito apreciado.

2leep.com