segunda-feira, 20 de junho de 2011

Sustentabilidade na Administração Pública

Quantas vezes você viu prédios públicos com todas as luzes acessas à noite? Apesar de sabermos que existem mesmo pessoas que ficam até mais tarde, é certo que não há pessoas trabalhando em todas as salas até altas horas da noite.

Com certeza essa não é uma prerrogativa apenas de prédios públicos, mas na iniciativa privada isso é mais difícil de acontecer porque o custo desse desperdício pesa no bolso dos empresários. O descaso pelo dinheiro público no sentido da economizar energia, poupar papel e recursos ainda é frequente no nosso país.

A decisão de buscar alternativas para conciliar desenvolvimento econômico e equilíbrio ambiental não deve ser apenas da população. Governantes e gestores devem ser os primeiros a dar o exemplo.

Mesmo sem percebermos ainda alguma mudança na prática, algumas iniciativas já tem sido tomadas nesse sentido. Servidores públicos ou não, é bom tomarmos conhecimento dessas iniciativas até como forma de acompanhar esse processo.

A Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P é um projeto que se iniciou no Ministério do Meio Ambiente, em 1999, e possui um papel estratégico na revisão dos padrões de produção e consumo e na adoção de novos referenciais em busca da sustentabilidade socioambiental, no âmbito da administração pública. A A3P tem por objetivo estimular os gestores públicos a incorporar princípios e critérios de gestão ambiental em suas atividades rotineiras, levando à economia de recursos naturais e à redução de gastos institucionais por meio do uso racional dos bens públicos e da gestão adequada dos resíduos. O pdf está disponível no site do MMA – veja aqui


Digno de nota é também o projeto Esplanada Sustentável em andamento desde o final do ano de 2010 no Ministério do Planejamento. Trata-se de um projeto-piloto que compreenderá inicialmente serviços de revitalização das instalações do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) incluindo a construção de um edifício anexo e prestação de serviços de gerenciamento, manutenção e operação de infraestrutura. Depois de aprovado, poderá ser estendido aos demais ministérios. Esse projeto está em fase de apresentação de propostas pela iniciativa privada porque será executado através do sistema de Parceria Pública Privada PPP.Veja aqui


Temos também a cartilha Edifícios Públicos Sustentáveis do Senado Federal publicada em 2010 parte do programa Senado Verde que dá ótimas dicas de como implementar os critérios sustentáveis nos edifícios públicos. A cartilha aborda temas específicos como a questão das compras sustentáveis e a importância de o gestor público conhecer o conceito das construções verdes além de mostrar como os investimentos em sustentabilidade podem se reverter em economia para o órgão público. O site do IAB disponibiliza o pdf da cartilha no link.
A Companhia Energética de Brasília (CEB) também continuará a investir em 2011 em dois projetos para melhorar a iluminação, reduzir de consumo em escolas no Distrito Federal e automatizar sistemas elétricos em edifícios do Governo Federal como parte do programa obrigatório de pesquisa e desenvolvimento e e eficiência energética. Na Esplanada dos Ministérios, a CEB está implantando um sistema de iluminação do Ministério de Minas e Energia (MME) que consiste na automação da operação dos sistemas elétricos existentes e a instalação de sistemas eficientes de controle de iluminação do Ministério de Minas e Energia (MME).

Fonte Revista Sustentabilidade

Se você souber de mais algumas iniciativas no setor público na direção da sustentabilidade nos encaminhe informações a respeito. Boas atitudes devem ser divulgadas até como incentivo a outros que desejam trilhar um caminho melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoraria saber sua opinião a respeito.
Seu comentário será muito apreciado.

2leep.com