quarta-feira, 11 de maio de 2011

Casas Mínimas

O desenvolvimento de projetos de rápida execução para residência e que sejam sustentáveis é uma opção para atender as populações necessitadas. Provisórias ou não, essas edificações são uma boa solução levando em conta a freqüência com que ocorrem no nosso país desastres naturais e catástrofes relacionadas com habitação além da própria demanda por habitação de baixa renda.

A Universidade de Hertfordshire, em Londres projetou uma pequena casa com algumas grandes idéias: possui um teto solar cuja dimensão prove um area de coletores maior do que a própria casa consome. O aquecimento da água e do ambiente é feito através de um sistema split eficiente.

A casa medindo 3x3x3m tem uma aparência bem simples por fora, mas por dentro possui 3 níveis com um tipo de escada minimalista que divide o espaço. De acordo com o coordenador Dr. Mike Page o projeto se baseia num estudo fisiológico que define o espaço mínimo para a qualidade de vida com baixo impacto.

Fonte: http://inhabitat.com
 


Ja que, ao contrário de Londres, aqui no Brasil temos muito espaço, não precisaríamos ter casas tão pequenas assim, destaco o projeto de casa modular desenvolvida pela Unicamp – Universidade de Campinas pela arquiteta Giovana Savietto Feres que se preocupou em atender as populações em situação de emergência.

O projeto consiste em módulos com área de 16m² pré-fabricados em polietileno, material que dispensa o uso de cimento e permite o conforto termico-acústico com um custo relativamente baixo. A casa pode abrigar de 4 a 6 pessoas.

Em termos de sustentabilidade, possui banheiro químico, piso de material reciclado de pneus, instalação hidráulica e elétrica que permite o uso de energia eólica. Além de ser reutilizável, a casa tem a vantagem de ser portátil, isto é, pode ser montada e desmontada, levada de um lado para outro de acordo com a necessidade de atendimento e até formar pequenos bairros provisórios.

Este projeto por enquanto ainda está na maquete, mas torcemos para que outras iniciativas semelhantes surjam na direção não apenas de atender as necessidades emergenciais da população, mas também como forma de economizar recursos públicos para evitar a execução de casas populares mal elaboradas devido às exigências de tempo e recursos.

Fonte: Correio Braziliense

Um comentário:

  1. A questão não é só ter ou não muito espaço, hoje muitas pessoas vivem só, ou a familia inteira trabalha e só estão em casa à noite e finais de semana, e casas menores atenderiam as necessidades básicas além de se economizar com manutenção da casa. Por ser menor, menos tinta, menos lugar para as tranqueiras que acabamos comprando, menos água , menos sabão, menos desperdício e finalmente mais tempo para nós curtirmos a vida. Estou pensando seriamente em trocar a minha de 60 m2 por uma de no máximo de 12m2.
    Eu fiquei apaixonada pelas casas do tumbleweed, principalmente as sobre rodas Será que dá para constriur uma aqui no Brasil? Ou no Brasil
    tem similares, além dos trailers e dos containers ?

    ResponderExcluir

Adoraria saber sua opinião a respeito.
Seu comentário será muito apreciado.

2leep.com