segunda-feira, 16 de maio de 2011

Sol substitui ar condicionado

Como um dos objetivos deste blog é deixar nossos leitores atualizados com as ultimas que acontecem no campo da sustentabilidade, transcrevo notícia que saiu publicada na Revista Sustentabilidade.

Gostaria de ter opiniões de engenheiros mecânicos a respeito deste assunto. Comentem por favor.
Vejam também a notícia no link da Agencia Fapesp:
http://agencia.fapesp.br/13789

Pesquisador da UFSCar desenvolve sistema que usa aquecimento solar para ventilar edifícios
O engenheiro e professor universitário Maurício Roriz e os alunos Fernando Sá Cavalcante e Letícia de Oliveira Neves, do faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), estão desenvolvendo um projeto de ventilação natural que trabalha com a convexão do ar causada pelas diferenças de calor dentro de um edifício, informou a Agência Fapesp.

Num trabalho de doutorado que iniciou-se em 2008 com um estudo anterior e deve terminar em 2012, com apoio financeiro da Fapesp, visa estudar a eficiência do projeto em prédios térreos de dois modelos do equipamento desenvolvidos em pesquisa anterior.

A proposta é reduzir o consumo energético dos edifícios.

Imagem: Agencia Fapesp


Segundo a Agência Fapesp, a chaminé solar, como é conhecido o processo, funciona com a coleta de raios solares cujo calor é condensado por uma placa metálica. O ar quente de sobe pela chamine cria uma movimento que puxa ar fresco pelas aberturas inferiores.


Esse ar-condicionado natural se baseia no chamado “efeito chaminé”: no interior da estrutura, o ar aquecido se torna mais leve e tende a subir, aspirando o ar dos ambientes e substituindo-o pelo ar exterior, mais puro e geralmente mais confortável, particularmente nos climas típicos do Brasil.


Um comentário:

  1. O produto é ótimo, serve para vários casos, mas não para o que o pessoal da Fapesp propõe.
    Esse tipo de sistema não proporciona controle de temperatura, ou seja, melhora o conforto para locais como shopping, praças, restaurantes, locais onde as pessoas não permanecem por longas horas diariamente. Somado a isso, pela hipótese do próprio professor da Fapesp, com a pavimentação e a quantidade de prédios nas cidades, a tendência é o sistema "puxar" ar mais quente do que o que está dentro dos ambientes, piorando as coisas e até comprometendo a convecção do sistema chaminé.
    Este sistema pode funcionar bem em edifícios térreo com bastante área verde próxima, e que a temperatura externa média seja relativamente baixa, 24º a 28°.
    Resumindo, é bom, mas sua aplicação não é para o foi proposto, portanto carece de um estudo bastante detalhado antes de implementar a solução em uma construção.

    ResponderExcluir

Adoraria saber sua opinião a respeito.
Seu comentário será muito apreciado.

2leep.com