quarta-feira, 27 de julho de 2011

Vaso sanitário da Microsoft?

Depois que Bill Gates deixou definitivamente seu cargo na Microsoft ele vem usando todo seu dinheiro e tempo na filantropia, para criar um mundo melhor. Seu foco agora se voltou para os vasos sanitários.

Banheiro Público romano


Vasos sanitários do fim do século 19

Vasos modernos high-tech tem diversas funções como limpar, secar, com tampa automática, descarga ativada por sensores, purificador de ar, etc.
Desde a antiguidade até hoje a ideia dos vasos sanitários evoluiu muito para se adaptar às necessidades humanas. Para Gates entretanto, a privada ideal para os países em desenvolvimento deve ser auto-sustentável, de custo acessível e sem ligações a linhas de energia, água ou esgoto, para que não desperdice água potável, que não jogue em encanamentos caros que desperdiçam muito dinheiro em estações de tratamento.

Assim, a Fundação de Bill e Melinda Gates anunciou na AfricaSan Conference em Kigali US$ 42 milhões em subsídios para que desenvolvedores reinventem o vaso sanitário. A afirmação foi feita pelo diretor dos programas de água, higiene e sanitarismo da Gates Foundation, Frank Rijsberman, à agência de notícias AFP. O objetivo do projeto é desenvolver novas tecnologias para o processamento de dejetos humanos sem qualquer ligação com linhas de água, energia ou esgoto.

A Fundação Gates quer mudar a ideia de banheiro conhecida no Ocidente - a descarga que consome vários litros de água desperdiçados no sistema de esgoto - porque não é uma solução viável nos países pobres. Essa tarefa caberá a um grupo de cientistas e engenheiros da Universidade de Tecnologia de Delft, na Holanda, sob a coordenação do professor Georgios Stefanidis.

Para que isso funcione a privada deve transformar as fezes em energia, através de um sistema de microondas, que dará origem a um gás. Inicialmente os dejetos humanos serão secos e em seguida, serão gaseificados utilizando plasma, criado por micro-ondas em um reator apropriado.O resultado desse processo gerará energia suficiente para que as próximas fezes também sejam processadas, criando um ciclo contínuo, que não necessita de nenhum fator externo.

“Vamos aplicar a tecnologia de micro-ondas para transformar os dejetos humanos em eletricidade. A partir desta inovação, pretendemos idealizar o design e construir um protótipo modular para um banheiro completo que satisfaça as urgentes necessidades do mundo em desenvolvimento,” afirmou Stefanidis.

O projeto ainda está no inicio, mas caso dê certo pode ajudar aproximadamente 2,6 bilhões de pessoas em todo o mundo que não têm acesso ao saneamento básico.

"Nós precisamos reinventar o vaso sanitário. Precisamos desenvolver uma nova tecnologia para tirar o cocô da água", disse Rijsberman.

A espectativa é que já tenhamos vários protótipos dentro de um ano, e que em três anos uma nova marca de vasos sanitários esteja disponível nos mercados dos países em desenvolvimentos, segundo Rijsberman.

Fonte: Folha de São Paulo, Ideabanks
Especulações a respeito de como seria o protótipo da Microsoft.
O que voce acha?

2 comentários:

  1. Oi Ione! Achei o máximo a iniciativa. Se realmente for possível transformar os dejetos em algum tipo de energia sem o gasto de água será um negócio do futuro realmente, uma invenção que terá ainda mais sucesso que a microsoft!!! Grande abraço!!!
    www.arquitrecos.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ione!
    Estou passando para lhe deixar um abraço. Voltei de viagem e agora virei mais vezes visitar você.

    Beijo

    ResponderExcluir

Adoraria saber sua opinião a respeito.
Seu comentário será muito apreciado.

2leep.com